Ela era tudo aquilo que não lhe diziam.

dreaming

Ela era um espírito livre. Daqueles espíritos puros que encantam com o seu sorriso. Mas espíritos desses não são para este mundo. Ela podia bater mil e uma vezes com a cabeça na grande parede que é a vida, mas duramente ela não aprendia. Ela não mudava. Mas para que mudar um espírito livre quando ela é que é a pureza de pessoa e o mundo é o cinzentismo que se conhece ? Não fazia sentido na mente dela. Nem daqueles que sabiam o valor e raridade que ela representava com a sua personalidade. Ela poderia embater violentamente na frieza da realidade, mas encontrava sempre forma de sobreviver. De renascer. De respirar outra vez. De ter outro fôlego. Como podem decepcionar alguém que sobrevive assim ? Não faz sentido algum. Não era uma queda de quarenta metros da profundidade dos sentimentos que a dizimava. Não era um atropelamento emocional que a desviava do seu caminho. Nem o esmagamento brutal das emoções fortes não correspondidas. Porque ela era e é, invulgar. Invulgar na abordagem da Vida. Invulgar no seu doce sentir de todas os detalhes que o Mundo nos proporciona. Invulgar por saber escutar o Universo e não deixar-se seguir como uma mera peça de uma enorme máquina. Quem sobrevive assim, é lutadora. Quem vive com todo o peso, e continua a avançar com um sorriso, com uma palavra amiga e com uma Luz que ilumina todos, só pode ser uma pessoa fora do comum e com uma energia única e bela. Confundem a sua teimosia com petulância. Não vêem que a sua força é a marca mais visível da sua robustez. Ela bateu tantas vezes no fundo, que tratava esse fundo por “tu”. Mas com o empenho, a aplicação, dedicação e uma enorme vetustez, ela conseguiu o que a muitos parecia impossível. Ultrapassar os limites e olhar nos olhos dos sonhos que imaginava na sua mente. Porque a sua força interior era a sua maior qualidade. Porque a crença mesmo na dor e no sofrimento era o que a fazia arrancar para a frente. Porque nem os maiores pesadelos iriam ser muros ou barreiras. Porque nem o pior dos cenários seria o travão da sua alma. Ela era e é, o mais belo espírito puro. E mesmo assim, ela conseguiu ser ainda mais do que é. Mesmo que não reconheça, mesmo que a humildade não lhe faça ver. Mas só quem tem olhos de ver consegue ver este tipo de espíritos. E que bem faria se todos tivéssemos olhos para ver, reconhecer, apreciar e valorizar. Só teríamos a ganhar. Sempre.

Autor:

Aprendiz de Escritor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s