E esse Amor de uma Vida ?

A middle-aged couple kiss in a back alley in Durham.

Um dia, numa conversa de café, numa esplanada sob o esplendor de um  dia solarengo, pai e filho tinham uma daquelas conversas de homem para homem. Sempre foram dos melhores amigos, pese o facto de o pai trabalhar sempre muito quando ele era pequeno. E de ter andado sempre no estrangeiro. A ligação que sempre tiveram não esmoreceu nem desvaneceu. A amizade e o carinho sempre permaneceram em suas vidas. E numa daquelas conversas típicas de pai e filho, assim se desenrolou:

Pai: “Então filho, que se passa contigo e com as raparigas?”

Filho: “Não sei, talvez só o tempo nos dará as respostas que preciso”

Pai: “Nunca deixes de olhar em teu redor porque só uma mente focada sabe o que necessita de encontrar”

Filho: “Como foi contigo e com a Mãe?”

Pai: “Os tempos eram outros. Vivíamos em terras separadas, e foi o teu tio, que trabalhava comigo na altura, que nas férias trouxe a irmã e amigos. Naquele preciso momento sabia que era ela. É daquelas coisas que se sabe no momento. Sem preciso uma única palavra. Foi naquele momento.”

Filho: ”Parece história de amor como já não existe”

Pai: “Não só existe, como já vivo esse amor há 36 anos. E continuo a amar como naquele primeiro dia. Sabes filho, há pessoas que só se concentram no momento da conquista. Que tem um ideal de perfeição. Uma relação, um namoro, um casamento, é feito de altos e baixos. Não quer dizer que não tenha muitos e deliciosos momentos bons. Porque tem. Mas um relacionamento não é só a capacidade de proporcionar bons momentos. É também saber ajudar a superar os momentos menos bons, e atenua-los, amenizar esses momentos. Porque tens de ser o pilar. Porque é o teu papel”.

Filho: “E como se mantém a chama tão acesa?”

Pai: “Amando todos os dias. Conquistando novamente. Quem tem vontade de lutar, luta sempre, não se resigna, não atira a toalha ao chão. Porque palavras não chegam, atitude é necessária, os actos espontâneos também. Não podes mecanizar o Amor. Tem de fluir em todos os aspectos da vida”.

Filho: “As mulheres são assim tão fáceis de entender?”

Pai: “Não é uma fórmula exacta. Isto não é ciência. É inteligência do coração. Se há empatia e amor, uma entrega total, incondicional e especial, é meio caminho andado para a superação de quaisquer obstáculos do amor. Os sinais estão todos lá. O apoio no momento certo. Um beijo no meio de uma zanga. A palavra ideal numa incerteza. A segurança de que tudo está bem.”

Filho: “É por isso que conseguiste sempre manter a Mãe?”

Pai: “Porque fui abençoado com o seu amor. Com a sua compreensão. Com a raça e a fibra dela. Porque amar é saber dar e receber. E quando o caminho é de sentido duplo, quando há entendimento e serenidade, então nem reparas que recebes ou que dás. Não contabilizas. Não cobras. Fazes e recebes tão naturalmente como respirar. Porque é assim que o amor tem de ser. Natural como o respirar o mais puro ar da mais alta montanha”.

Filho: “É essa a história de amor que eu queria viver. Mas parece tão difícil”.

Pai: “Sê tu próprio. Não seja outra pessoa que não tu. Recebeste a educação como deve ser. Todo o nosso amor. És o fruto de um amor lindo. Deixa as coisas seguirem o teu rumo. Porque tal como foi comigo, contigo irá acontecer quando menos esperares. E um dia se calhar, irás ter com o teu filho esta mesma conversa. E ai se calhar iras recordar estas palavras”.

Filho: “Era sinal de que tinha sido encontrado”

Pai: “Se calhar já foste. Se calhar ainda irás ser. O mais importante é que nunca esqueças de amar com profundidade. Que não esqueças da dedicação. Da entrega. Da fluidez natural. Deixa respirar o amor, e o amor irá proporcionar-te os melhores momentos da tua vida. Se deixares ser puro, não vais necessitar de mais ninguém, porque serás uma pessoa completa. Uma pessoa com a alma entrelaçada noutra. Um coração preenchido com os mais belos sentimentos.”

Filho: “Se for um amor como o vosso, que sortudo serei por certo”.

Pai: “ Tens a história como exemplo. Mas faz a tua própria história. Uma história de amor, paixão, respeito, dedicação e atenção. O amor é como um templo. Tens de respeitar e venerar. Não profanar e amar. E saber que uma das bases mais importantes é a confiança. Com confiança, arriscas mais. Cresces individualmente. Não tens medo de viver e sentir. Tornas-te numa pessoa ainda melhor, mais iluminada. Não sentes passos em falso. Sentes que tudo vai correr bem. Entras noutra dimensão. Tudo é mais belo. E isso faz com que o teu amor ganhe maturidade, dimensão e aumenta a sua sensação em nós.”

Filho: “Obrigado Pai, por tudo o que me ensinas”

Pai: “Obrigado Filho, por seres o fruto de um lindo Amor. E que eu tivesse outros 36 anos com o Amor da minha Vida”.

Autor:

Aprendiz de Escritor.

Uma opinião sobre “E esse Amor de uma Vida ?

  1. “Filho: “E como se mantém a chama tão acesa?”

    Pai: “Amando todos os dias. Conquistando novamente. Quem tem vontade de lutar, luta sempre, não se resigna, não atira a toalha ao chão. Porque palavras não chegam, atitude é necessária, os actos espontâneos também. Não podes mecanizar o Amor. Tem de fluir em todos os aspectos da vida”.”

    Que lindo *.*
    O texto está brilhante, 😀 falta essa vontade para lutar nos maus momentos, a maioria desiste, cansa-se. Daí as relações de hoje em dia durarem tão pouco tempo, quando algo corre mal as pessoas saltam fora e o assunto está resolvido. :X
    BeijocaS*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s