Brilho Intenso de uma Luz

breathe-freedom-light-photography-pretty-rain-Favim.com-79824

Neste longo caminho que é a vida, quem sente o bem, e por ele vive, irá encontrar-se com o dilema tão simples quanto este. “Afinal somos Heróis, Salvadores ou Meros Praticantes do Bem”. A resposta é óbvia. Meros Praticantes do Bem. Podemos dar muito de nós para ajudar outros a elevarem-se, apoia-los a seguirem o seu próprio caminho de bondade, aliviar aquilo que é de facto o seu sofrimento interno que pesa na sua alma, mas jamais seremos salvadores ou heróis. Afinal podemos apontar qual o caminho certo para esse destino positivo, mas tem de ser essa pessoa a tomar os passos a seguir. Não só para ela mesma valorizar o próprio esforço, mas para não criar algum tipo de dependência em relação a quem apenas quer dar uma mão amiga. A nossa única recompensa em que ajuda e a apoia é mesmo essa, o nosso próprio reconhecimento de auto-realização. O que cada um de nós tem de ter noção é que somos e seremos sempre espíritos livres, sem amarras, sem pesos. Que só existem amarras e pesos, porque deixamos que tal aconteça e isso tem de ser evitado através do reforço mental da nossa mente. A dor e o sofrimento que iremos encontrar na nossa vida e ao qual ninguém é imune não deverá servir para nos afundar, mas sim para ajudar-nos a crescer mais e mais, para fazermos com que das dores não venham mais horrores, mas sim outras formas de vermos a vida pelo lado positivo da mesma. Por vezes há a noção de que não sabemos bem qual é o nosso objectivo de vida, mas esse objectivo, essa verdade, só irá surgir se orientarmos a nossa mente com toda a calma e paciência. É com calma e luz que lá chegaremos, e não com resignação e desespero. Todos os passos estão lá para os darmos. Há quem prefira escolher o caminho mais longo e penoso. E quem sabe ser sensato para saltar etapas devido a sua posição aberta e ponderada perante tudo. O objectivo principal não é termos um brutal sucesso ou um poder imenso. Estamos aqui de facto para contribuir para um mundo melhor à nossa própria maneira, de sermos uma parte do Mundo e não o centro das atenções. A nossa presença é infinitamente curta perante a vida do Universo. Deixemos a marca do bem. Para que no fim não sejamos uma triste memória, mas sim de facto, o brilho intenso de uma Luz !

Autor:

Aprendiz de Escritor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s