Indicadores para superarmos a adversidade.

16 (1)

 

No nosso tempo, na nossa vida, iremos conhecer uma infinidade de tipologias de pessoas. Pessoas alegres, deprimidas, egoístas, divertidas, cruéis, enfim, muitas faces diferentes das personalidade do ser humano. De todas podemos reter as mais preciosas lições, isto se soubermos ter a compreensão e humildade para as retirar, ao invés de repetirmos os mesmos erros de forma sistemática e prejudicial. As pessoas que provavelmente mais nos ensinarão, em matéria de sabedoria, de compreensão e altruísmo, serão as pessoas que venceram, apesar de terem passado por mais momentos negativos, seja na derrota ou no desgosto, na dor e no desespero. Quem passa pelas diversas ondas de acontecimentos negativos que proporcionam energia negativa, sabe valorizar os momentos bons quando surgem, momentos esses que não passam despercebidos e que são encarados como vibrações positivas e intensas que reforçam o ser. A luta fortalece-nos e transforma-nos. Ninguém nasce com o conhecimento do todo que a vida é. Somos uma tela em branco que vai sendo preenchida e desenvolvida linearmente com o tempo. Por isso uma pessoa que outrora seria deprimida ou destrutiva, pode bem tornar-se numa pessoa resolvida e com um sentido de felicidade próprio. Não há magia. Não há truques. Depende exclusivamente da nossa atitude. Se tivermos uma situação negra, negativa e destrutiva, o que faremos ? Encaramos a situação de frente ? Deixamos a situação tomar conta de nós ? É a nossa reacção que irá determinar mais um pouco de nós. E é nessas pessoas que passaram pelos momentos menos bons que encontramos indicadores que podem servir de guia para termos essa sabedoria e sensibilidade. A dor é um desses indicadores. Não podemos esconder a dor no fundo da nossa essência. Ela corroí e transforma a nossa essência em algo que é indesejável. Esquecemos que a dor faz parte da categoria dos sentimentos. Que temos de ver a dor, não como uma fatalidade, mas como algo que faz parte. Não deveremos ter vergonha ou esconder o que sentimos. Somos humanos. Não somos menos pessoas ou mais fracos por isso, porque até mesmo os que se dizem fortes, sentem na mesma, o que tem, é a capacidade de esconder mais no fundo aquilo que sentem. As cicatrizes da dor não devem ser vistas como algo que nos desvalorizem, devem sim, ser marcas de que sobrevivemos e ainda cá estamos para continuar a vida. Outro indicador é o medo. Esse medo que tanto atormenta. O medo pode ser pressionante, esmagador e parecer-nos quase inultrapassável. Não é ! Não meta isso na sua mente. O medo nunca deverá impedir que sigamos com a vida. A nossa mente tem de ser utilizada para criar os mecanismos que evitem a expansão e crescimento do medo. Temos de saber qual é o nosso medo. O que o provoca. A melhor estratégia para ir com toda a sua energia. Porque somos nós, na nossa mente inconsciente que criamos e damos força a esse conceito. A coragem vive connosco, esperando ser activada quando é precisa. Active a sua coragem, dê asas à ideia de que nada é impossível de enfrentar, por mais dimensão que tenha. Coragem é luz, medo é escuridão. E só se consegue ultrapassar a escuridão, activando os raios de luz. Outro indicador é a acção que essas pessoas possuem em relação ao presente. Ao aqui e agora. Como dizia a música: “É pr’a amanha, bem podias fazer hoje”. É no hoje que tudo se concentra. O amanhã é uma cidade bem distante e a perfeição que queremos no futuro é noutro continente. Podemos trabalhar afincadamente e com convicção para o futuro, mas é no dia em que andamos, no momento em que vivemos, que projectamos o amanhã onde queremos estar de facto. Outro indicador está relacionado com este último ponto: o tempo. Os grandes planos e projectos que queremos para nós, levam o seu tempo. Não é sempre instantâneo e rápido como gostaríamos. Ter paciência é o caminho. Não é o tempo de espera que temos para atingir determinado objectivo que é relevante. Importante mesmo é manter a nossa capacidade de raciocínio enquanto fazemos pela vida. Focados no objectivo. Porque ao darmos um passo de cada dia, já demos sempre mais um passo em relação ao dia anterior e isso apesar de parecer pouco, é extremamente positivo. Resumindo esta linha de pensamento: Todos estes indicadores que poderemos observar em terceiros são uma linha de orientação para a nossa pessoa, mas a felicidade é inteiramente da nossa responsabilidade. É de coragem e auto-suficiência que precisamos para fazermos o nosso caminho, as nossas escolhas, à nossa velocidade. Deixar as situações para nos tomarem de controlo não. Tomar controlo para sermos heróis da nossa vida e não cairmos na tentação, esse sim é a maior opção e escolha de vida que poderemos fazer.

Autor:

Aprendiz de Escritor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s